A importância das vacinas

9 de junho é o Dia Mundial da Imunização. A data valoriza a importância da vacinação como forma de controlar diversas doenças. Em tempos de pandemia de covid-19, que já tirou pelo menos 476 mil vidas em nosso país, a data ganha ainda mais importância.

Por mais paradoxal que pareça, o Brasil tem registrado queda de cobertura vacinal nos últimos anos. Isso significa que, além do estrago causado pela covid-19, corremos riscos de ver doenças já controladas voltarem a causar mortes e sequelas.

Resgatamos algumas informações muito importantes que veiculamos ao longo da campanha UFSJ em Defesa da Vacina, iniciada em fevereiro. Leia, compartilhe, converse com os parentes e amigos sobre a importância da vacina.

“Muitas doenças que estiveram um dia presentes na nossa sociedade foram completamente erradicadas em função da vacina.” Clareci Cardoso, epidemiologista e professora do Campus Centro-Oeste Dona Lindu (CCO/UFSJ).

“Se você for vacinado com qualquer uma delas [vacinas contra covid-19 aprovadas], a tendência é que esteja protegido dos casos mais complicados.” Antônio Tótola, doutor em Biologia Celular e professor do Campus Alto Paraopeba (CAP/UFSJ).

“Vacinas que usam a tecnologia do vírus inativado, como a Coronavac, induzem à proteção sem que haja o menor risco do indivíduo adquirir infecção. Aquelas que utilizam RNA ou DNA também não oferecem a menor possibilidade de dano do nosso genoma, alteração ou mutação.” Eliana Rocha, pesquisadora em parasitologia e epidemiologia, professora do CCO/UFSJ.

“As vacinas contra covid-19, assim como as demais, passaram por rigorosos testes de segurança. O rápido desenvolvimento dessas vacinas deve-se à realização dos testes de forma paralela, e não sequencialmente como costuma ser feito, muitas vezes por falta de recursos.” Luiz Carlos de Sá-Rocha, professor da USP, que trabalha há 30 anos em segurança de produtos farmacêuticos (entre eles, vacinas).
 


Publicada em 09/06/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar