Primeiro período emergencial é avaliado em pesquisa

O resultado da pesquisa que avaliou a experiência da comunidade acadêmica durante o primeiro período emergencial já está disponível para consulta neste link. Realizado pela Comissão Própria de Avaliação da UFSJ (CPA), o relatório traz dados coletados a partir dos questionários on-line direcionados a estudantes, professores, técnicos-administrativos e colaboradores terceirizados. Ao todo, mais de 4,5 mil pessoas contribuíram com a pesquisa. Para apresentar o relatório, serão produzidas outras duas matérias com análises das informações.

De acordo com o presidente da CPA, professor Carlos Alberto da Silva Junior, o objetivo de apresentar a visão da comunidade acadêmica sobre o primeiro período emergencial na UFSJ foi alcançado. “A CPA realizou a pesquisa de maneira autônoma e isenta, promovendo o levantamento de dados que mostram a realidade vivida pelas pessoas durante o ensino remoto. O relatório da Comissão oferece uma série de informações à Reitoria, que poderá enriquecer as discussões voltadas a aprimorar o processo, contribuindo ainda para que ações nesse sentido sejam implementadas já no segundo período.”

Para realização da pesquisa, foram aplicados questionários direcionados a cada segmento da Universidade, visando investigar todas as variáveis que pudessem influenciar na execução do período remoto. Os formulários abordaram questões práticas, como a avaliação das aulas, e também trouxeram perguntas referentes aos impactos das atividades na saúde mental e social dos participantes. “As questões aplicadas buscaram entender de forma ampla os impactos sentidos por docentes, alunos, técnicos e colaboradores durante essa experiência, até então, inédita”, explica Carlos Alberto.

Para o professor, os resultados mostraram ainda que houve uma quebra de paradigma. “No início do período emergencial, a comunidade acadêmica tinha muito receio daquilo que poderia ser o ensino remoto e, ao final, houve uma aceitação do processo. Acreditamos que as aulas presenciais são o modelo ideal, mas as pessoas perceberam que a modalidade remota é possível e que, provavelmente, algumas ferramentas farão parte da nossa rotina de forma permanente”, completa.

Para conhecer detalhes da pesquisa, fique atento às próximas matérias que serão publicadas no site e redes sociais da UFSJ.


Publicada em 10/02/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar