"Há muito tempo essa erosão nos inquietava"

A UFSJ realizou, no final do ano passado, a licitação para as obras de estabilização e recuperação da voçoroca existente na área leste do Campus Alto Paraopeba (CAP), um problema que preocupa a comunidade acadêmica há muitos anos. A empresa vencedora foi a Alugane Construções e Serviços Ltda., que deve iniciar os trabalhos em março. O custo total da obra é de R$ 2,905 milhões, obtidos pela Reitoria junto à Secretaria de Educação Superior do MEC (Sesu).

Todo o espaço físico do Campus Alto Paraopeba (CAP), em Ouro Branco (MG), pertence à mineradora Gerdau, a qual cedeu o mesmo para a UFSJ em regime de comodato por 50 anos. Pelo acordo, a UFSJ é responsável pela manutenção do espaço.

De acordo com a pró-reitora de Administração, Fernanda Resende, essa obra é mais que necessária, uma vez que a erosão avança em direção ao Campus, ameaçando a integridade das edificações. “Há muito tempo essa erosão nos inquietava. A obra não foi realizada antes por falta de recursos financeiros e licitações frustradas. Agora conseguimos o dinheiro e finalmente vamos começar. Estou muito satisfeita, pois é uma demanda antiga do Campus Alto Paraopeba, uma obra importante com a qual contamos resolver o problema”, comemora.

Fernanda também faz questão de ressaltar o trabalho conjunto dos servidores de São João del-Rei e Ouro Branco, que se esforçaram e viabilizaram os projetos para embasar a licitação no final do ano, uma vez que os recursos estavam assegurados pela Reitoria.

Urgência
Segundo o diretor da Divisão de Prefeitura do CAP, Cláudio Tavares, a erosão está a menos de 100 metros do Bloco 1, e já fez estragos na área interna do Campus. “A voçoroca está vindo em direção ao bloco, e já destruiu o pavimento, impedindo o trânsito de veículos. Também tivemos que fechar um estacionamento por causa do solo comprometido”, afirma.

O recurso financeiro foi obtido pela Reitoria junto à Sesu, em caráter emergencial, a partir de uma reserva técnica do Ministério. “Fizemos um dossiê minucioso para o MEC, mostrando a urgência da obra e, pela ação dos nossos dirigentes, conseguimos o financiamento. Foram duas vitórias: obter o recurso e realizar a licitação em tempo hábil”, destaca o pró-reitor de Planejamento e Desenvolvimento, professor Renato da Silva Vieira.

Erosão pluvial
A voçoroca é um tipo de erosão pluvial causado pelo desmatamento da cobertura vegetal na área onde ocorre. Sem cobertura, a queda das gotículas de água, principalmente da chuva, provoca um movimento de massa no terreno. Com o passar do tempo, o impacto dessas gotículas desagrega o solo e, assim, os sedimentos são transportados a outro lugar. Dessa forma, durante o período chuvoso, todo o impacto da água recebido pelo solo pode gerar uma corrente de água que, se for sucessiva, se desenvolve ao nível de uma voçoroca. O fenômeno provoca um rasgo no solo e a voçoroca é considerada um grave desequilíbrio no meio ambiente, que pode atingir o lençol freático.


Publicada em 07/02/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar