UFSJ amplia auxílios estudantis durante a pandemia

O fechamento dos RUs na pandemia fez com que a UFSJ criasse o auxílio alimentação emergencial

No último mês de dezembro, nada menos que 2.936 estudantes receberam subsídios diretos, que incluem auxílios de promoção socioacadêmica - como permanência, moradia, alimentação e transporte - e aqueles referentes à pandemia da Covid-19 e ao ensino remoto emergencial, como os auxílios para equipamentos de informática e de alimentação emergencial. Além de manter os auxílios que já existiam, a UFSJ conseguiu criar novos, utilizando recursos do Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes) e da própria Universidade. Esses auxílios inéditos são o auxílio emergencial, para os que não têm nenhuma forma de renda; o auxílio alimentação emergencial, em razão do fechamento dos restaurantes universitários; e os auxílios de inclusão digitais, para que os estudantes sem equipamentos e sem acesso à internet pudessem participar das atividades do período remoto.

Trabalhando em condições mais difíceis por causa do isolamento social, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) cumpriu seu papel de possibilitar que os estudantes mais vulneráveis economicamente pudessem encarar os novos tempos sem deixar a Universidade. De acordo com a pró-reitora Janice Carvalho, mesmo com os cortes de verbas, a UFSJ conseguiu manter todos os auxílios que já existiam, assim como criar novas modalidades para novas demandas. “Foi um período muito desafiador, mas gratificante, pois conseguimos atender a todos que nos procuravam e que se encaixavam nas exigências dos editais”, avalia Janice, que ainda ressalta a boa resposta da comunidade estudantil, na qual existem alunos em grandes dificuldades. “Esse auxílio é importante não apenas para eles próprios, mas também para as famílias. Temos casos de estudantes que com essa ajuda se tornaram arrimo de família”, revela.

A pró-reitora destaca também que a publicação de editais de fluxo contínuo otimizou o processo de concessão dos auxílios na pandemia. “Esses editais, sem data de início e término, facilitaram o acesso e a participação maior dos estudantes. Esse foi um diferencial da UFSJ em relação a outras instituições”, explica.

A importância dos auxílios na vida dos estudantes mais vulneráveis é destacada pelo diretor de Assistência e Ações Afirmativas, José Ricardo Braga. “Temos estudantes para quem essas modalidades de auxílios são a única forma de se manterem na Universidade.”

“Abraçou a causa”
José Ricardo destaca também a criação de novos auxílios em função da urgência da pandemia. “A nova gestão começou em plena pandemia, abraçou a causa e trabalhou em conjunto com os estudantes. Conseguimos regulamentar e aprovar novos auxílios em função da Covid, os auxílios de inclusão digital para aquisição de equipamentos e acesso à internet. Ampliamos o auxílio emergencial e implantamos o auxílio alimentação emergencial, que supre a falta dos restaurantes universitários. Foi um trabalho em conjunto: os alunos foram consultados durante a elaboração da minuta de resolução, encaminhada e aprovada pelo Conselho Diretor, e estiveram com a equipe na construção dos editais. Isso foi fundamental”, avalia José Ricardo.

Para a assistente social Raphaela Mendes Teixeira, que trabalha no Campus Sete Lagoas, os novos editais, com as novas modalidades de auxílios, funcionaram como “uma contrapartida” à falta dos financiamentos tradicionais, decorrente da pandemia. Em muitos casos, se constituíram como verdadeiros programas de transferência de renda.

Entre os estudantes em vulnerabilidade socioeconômica, os auxílios se traduzem na continuidade da formação superior na UFSJ. “O auxílio de promoção socioeconômica, para mim, significa a minha permanência aqui como discente”, revela o estudante do 5º período de Medicina do Campus Centro-Oeste Dona Lindu, Patrick Alexandre dos Santos Oliveira. “Sem esses auxílios, seria inviável meu sustento durante minha graduação. Eles são de vital importância para que eu e muitos colegas bolsistas consigamos nos graduar”, completa.

Patrick destaca que os auxílios para aquisição de equipamentos e internet foram de extrema importância para garantir a inclusão digital dos discentes em vulnerabilidade socioeconômica. “Uma atitude positiva e assertiva da Proae, que garantiu que a UFSJ continuasse promovendo equidade no ensino. De forma subjetiva, os auxílios deram continuidade ao sentimento de acolhimento que a Proae traz a todos os seus alunos bolsistas. Em um momento tão ímpar e difícil como esse, sentir-se acolhido é um grande incentivo para seguirmos com as nossas graduações”, declara.

Filha de uma família que não tem condições de mantê-la em outra cidade, a estudante de Engenharia Química, Thailanne Almeida, enfatiza a relevância dos auxílios que recebe, com os quais pode arcar com parte dos gastos com moradia, alimentação e transporte em Ouro Branco (MG), onde fica o Campus Alto Paraopeba, no qual estuda. “Esse apoio é de extrema importância para que eu possa me dedicar aos estudos”, garante. Thailanne considera que a ampliação das bolsas foi fundamental durante a pandemia. “Há alunos que não puderam retornar para suas casas ou foram afetados de outras formas. Com certeza a UFSJ soube amparar seus alunos durante esse período tão complicado em nossas vidas.”

Veja como a UFSJ destina os auxílios entre seus estudantes
Auxílios de promoção socioacadêmica e auxílios decorrentes da Covid-19 e ensino remoto: 1.387 estudantes beneficiados
Auxílio-creche: 40 estudantes
Monitoria especial: 4 estudantes
Auxílio emergencial Covid-19: 349 estudantes
Auxílio alimentação emergencial Covid-19: 849 estudantes
Auxílio internet: 284 estudantes
Auxílio equipamento: 23 estudantes

Os dados acima correspondem ao mês de dezembro de 2020, e foram fornecidos pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis. No referido mês, o investimento em auxílios foi de R$ 1.034.858,00. Auxílios de promoção socioeconômica são: moradia, permanência, alimentação, transporte. Auxílios decorrentes da Covid-19: auxílio emergencial, alimentação emergencial, aquisição de equipamentos, aquisição de internet.


Publicada em 02/02/2021
Fonte: ASCOM

 Voltar