Drummond é tema do último encontro do Ciclo Pororoca

Entreviver e entremorrer nas ruínas de um mundo não vasto é o título do último encontro do Ciclo Pororoca, que traz à cena o músico, compositor e ensaísta José Miguel Wisnik, autor do belíssimo Maquinação do mundo, e o jovem artista visual mineiro Eduardo Hargreaves. Nesta quarta, 18, a partir das 19h, no canais do Festival Artes Vertentes, no Facebook e no YouTube.

A obra de Carlos Drummond de Andrade foi pioneira ao tocar numa ferida que ainda permanece aberta no estado de Minas Gerais: a degradação do meio ambiente e da vida nas áreas afetadas pela mineração. Na conversa, permeando o universo drummondiano e a partir da obra de ambos os convidados, a reflexão se dará face às possibilidades de entreviver e entremorrer em um mundo que mais e mais se mostra finito.

Entre 1º de setembro e 18 de novembro, o Festival Artes Vertentes produziu e apresentou o Ciclo Pororoca: o encontro das artes, uma série de dez encontros on-line, transmitidos ao vivo pelo YouTube, com artistas e pensadores da cultura que estarão ou que já estiveram em alguma das edições do evento. Entre eles, três egressos da UFSJ: Ísis Bey Trindade, Lucimélia Romão e Marlon de Paula, que narraram suas experiências artísticas e memórias de formação à jornalista Juliana Millen.


Publicada em 18/11/2020
Fonte: ASCOM

 Voltar