MEC apoia ampliação dos campos de prática na área de saúde para a UFSJ

Publicada em 23/08/2023 - Fonte: ASCOM

A ampliação do campo de prática para os cursos da área de saúde da UFSJ foi discutida nesta quarta, 23, em Brasília, pelo reitor Marcelo Andrade, em reunião com o ministro da Educação, Camilo Santana; a secretária de Ensino Superior do MEC, Denise Pires de Carvalho; e o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Arthur Chioro. O reitor lembrou que esse é o quarto encontro para tratar do assunto nos últimos dois meses. “Nós estamos empenhados em ampliar o campo de prática para os estudantes da área de saúde da UFSJ. Entendemos que é uma reivindicação justa de nossa comunidade. Não só a universitária, mas também de toda a sociedade, nas cidades onde estamos inseridos por meio de nossos campi”, argumentou.

O reitor explicou que essa ampliação dos campos de prática, um assunto que já vem sendo tratado pela Comissão Nacional de Hospitais Universitários da Andifes – da qual a vice-reitora Rosy Ribeiro é vice-presidente –, se torna mais necessária e urgente a partir do momento em que, por não contar com hospitais-escolas, a UFSJ encontra dificuldade na inserção dos acadêmicos que, muitas vezes, têm que se deslocar por grandes distâncias para a prática nos internatos e estágios. “Por outro lado, a própria população fica carente desse atendimento; com essa ampliação, podemos fortalecer o ensino e a pesquisa na área da saúde”, afirmou.

Por sua vez, a diretora do Campus Centro-Oeste Dona Lindu, Hérica de Lima Santos, também presente à reunião, disse estar muito otimista em relação ao encaminhamento da demanda, uma vez que tanto a Secretaria de Ensino Superior (Sesu) quanto a EBSERH já sinalizaram positivamente no sentido de acatar o pedido da UFSJ, assim como o ministro Camilo, nesse encontro. “Há sim um caminho positivo no sentido de que possamos levar essa consolidação de ter um hospital que seja vinculado à UFSJ, para estender e estruturar o campo de prática de todos os nossos cursos na área da saúde. Demos mais um passo rumo a uma importante conquista nesse processo”, salientou.

Estiveram presentes, ainda, à audiência com o ministro Camilo Santana, a deputada federal Macaé Evaristo (PT) e a Secretária Nacional de Finanças e Planejamento do PT, Gleide Oliveira.

Audiência discute combate às desigualdades
Pela manhã, o reitor Marcelo Andrade participou da audiência pública da Comissão de Ciência, Tecnologia e Inovação da Câmara dos Deputados, que discutiu o papel das universidades e dos institutos federais na reconstrução de um projeto nacional de combate às desigualdades. Na audiência, a deputada federal Ana Pimentel (PT), que convocou o debate, salientou que hoje era “um dia de celebração”: após uma conjuntura de sucessivas reduções orçamentárias e questionamento da importância dos centros científicos do país, era possível reunir representantes das instituições federais de ensino para discutir um assunto tão importante.

O reitor da UFSJ fez questão de ressaltar que um dos grandes desafios é a representação do povo negro, do qual ele mesmo faz parte. Ele lembrou que, segundo dados do IBGE, os negros são 56% da população brasileira. “A representação ainda é muito pequena, especialmente no corpo docente e no corpo técnico, um pouco maior hoje no corpo discente, talvez um reparo que podemos fazer nas próximas décadas com aqueles que passam pelas ações afirmativas”, frisou.

Marcelo Andrade disse também que outra preocupação se volta para as discentes que são mães. “Não temos auxílio para essas mães. Se os recursos do Pnaes já são muito restritos aos nossos alunos, para as mulheres mães ainda é assustador. E pior ainda, porque além da falta de recursos, vem o preconceito dirigido a essas mães”, destacou.

Confira a íntegra da falta do reitor neste link.
 

Luciene Tófoli
Assessora de Relações Institucionais e Corporativas