Egresso da UFSJ recebe prêmio da Academia Divinopolitana de Letras

Publicada em 26/04/2023 - Fonte: ASCOM

Helon Guimarães Cordeiro, egresso do curso de Bioquímica, Campus Centro-Oeste Dona Lindu da UFSJ, recebeu o Prêmio Orfeu 2023, concedido pela Academia Divinopolitana de Letras, na categoria Ciência e Tecnologia.

O trabalho que lhe rendeu a premiação foi realizado durante seu doutorado no Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no laboratório OncobioMarkers, sob orientação da professora Carmen Veríssima Ferreira Halder. “Fui contemplado com o auxílio do Fundo de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão da Unicamp, e tive então a oportunidade de realizar um estágio no Erasmus Medical Center, na Holanda, sob supervisão dos pesquisadores Gwenny Fuhler e Maikel Peppelenbosch. Pude usar modelos tumorais mais complexos como os organoides, ainda pouco utilizados no Brasil”, destaca.

A carreira de Helon na Ciência se iniciou durante a graduação no Laboratório de Processos Biotecnológicos e Purificação de Macromoléculas, com o professor Paulo Afonso Granjeiro, onde desenvolveu projeto na área de purificação de proteínas e determinação de suas propriedades biológicas.

Em seguida, “engatou” mestrado e doutorado na Unicamp: no primeiro, investigou a responsividade das células de câncer colorretal ao tratamento com o Vemurafenibe e se esse tratamento poderia modular proteínas envolvidas com a agressividade tumoral. No doutorado, seu projeto de pesquisa tinha como finalidade investigar compostos que modulassem a secreção de vesículas extracelulares em modelos de tumor pancreático.

“Quando fui nomeado para o prêmio, estava no final do meu estágio na Holanda. Recebi um e-mail da Academia Divinopolitana de Letras, dizendo que meu nome havia sido indicado por ser um pesquisador divinopolitano que está no exterior, desenvolvendo projeto de pesquisa com métodos inovadores, o que certamente contribuiria para o progresso da ciência e o desenvolvimento da humanidade”, relembra.

Esse reconhecimento da Academia, para o jovem pesquisador, significou muito, para uma carreira que começou na iniciação científica e pode servir de inspiração para os pesquisadores brasileiros, que transformam “conhecimento em riqueza, alavancando a economia e soberania nacional.”

Para conhecer a Academia Divinopolitana de Letras, acesse este link.

Texto: Gabriella Canuto (Estagiária ASREC)

Edição: Cibele de Moraes (ASCOM) Orientação: Luciene Tófoli (ASREC)